Carlos Ferrari
Carlos Ferrari

Rio Grande do Sul registra mais de 30 mortes violentas no fim de semana

Com dez mortes entre sexta-feira e domingo, a capital, Porto Alegre, e a região metropolitana puxaram os números para cima

Lucas Azevedo, Especial para o Estado

05 de setembro de 2016 | 11h44

PORTO ALEGRE - O último fim de semana foi um dos mais violentos na história do Rio Grande do Sul. Segundo levantamento da Agência RBS, entre sexta e domingo, 2 e 4, 33 pessoas morreram de forma violenta - seis em acidentes de trânsito - no Estado, que vive uma grave crise de segurança. Com dez mortes, a capital, Porto Alegre, e a região metropolitana puxam os números para cima. Em média, há 7,5 mortes violentas por dia no Estado.

O Rio Grande do Sul vive uma escalada da violência. Na região metropolitana, a disputa por território entre quadrilhas do tráfico de drogas tem assustado a população - desde o início do ano, oito corpos esquartejados foram deixados pelas ruas de bairros periféricos.

Em 2016, o crime que mais cresceu no Estado foi latrocínio (roubo seguido de morte), que aumentou 34,34% no primeiro semestre em relação ao mesmo período do ano passado.

Em meio à crise, o governador José Ivo Sartori (PMDB) nomeou um novo secretário de Segurança, Cezar Schirmer, ex-prefeito da cidade gaúcha de Santa Maria. A escolha foi criticada pelo fato de Schirmer ter sido indiciado na investigação sobre o incêndio da Boate Kiss, em janeiro de 2013. O inquérito foi arquivado pelo Ministério Público.

Sartori pediu e o governo federal enviou a Força Nacional para o Estado. Há uma semana, 120 pessoas auxiliam no patrulhamento da capital, mas devem deixar a cidade em menos de 60 dias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.