Em meio ao caos, cariocas recorrem ao Twitter para obter informações

Seguidores da página colaboraram espontaneamente informando os pontos alagados e os melhores trajetos para cruzar a cidade

Kelly Lima, da sucursal do Rio

06 de abril de 2010 | 13h02

Com os principais sites de informação pública fora do ar, a rede social do Twitter foi a melhor forma de se comunicar ao longo da chuva que atingiu o Rio de Janeiro desde o final da tarde de segunda-feira até a manhã desta terça. De forma inusitada, a página que tradicionalmente indica onde estão as blitze de lei seca na cidade, mostraram-se o melhor serviço privado de utilidade pública, auxiliando seus seguidores online a chegar em casa com segurança.

 

Veja também:

linkLula e Cabral pedem para que população deixem áreas de risco

linkPrefeitura do Rio reconhece falhas na infraestrutura

linkNúmero de mortos passa de 90; cidade entra em alerta

linkEm 12 horas, chuva ultrapassa o dobro esperado para o mês

mais imagens Galeria de fotos: chuvas no Sudeste

 

Desde o início da chuva, durante toda a madrugada e ao longo da manhã de terça, os seguidores da página colaboraram espontaneamente informando os pontos alagados e os melhores trajetos para cruzar a cidade. No mesmo período, os site da Companhia de Transito do Rio (CET-Rio) esteve offline. Bastante criticado em outras ocasiões por alertar os motoristas sobre a localização de blitz, a página do @LeiSecaRJ foi acessada por órgãos oficiais e foi a primeira a fazer o apelo para que os cariocas ficassem em casa nesta terça-feira, antecipando-se ao pedido feito oficialmente pela Defesa Civil e pelo prefeito Eduardo Paes.

 

Durante a manhã de hoje, além das indicações sobre os melhores caminhos e alerta aos motoristas - como no caso de um arrastão que começou a ocorrer no Túnel Zuzu Angel, na Zona Sul, ou o risco de desabamento confirmado em seguida na encosta da Avenida Niemeyer - a página do @Lei SecaRJ recebeu relatos de quem passou a madrugada ilhado em ônibus, ou dentro de shoppings esperando a água baixar.

 

Outros pedem ajuda ao grupo: "por favor acionem a defesa Civil, barracos desabando sobre posto de gasolina na Gávea". Também foram inúmeros os elogios dos seguidores, entre eles o deputado federal Fernando Gabeira, que aproveitou para criticar a inoperância de outros sites de serviço público: " O site do CET-Rio está fora! Quem está dando info s/ ruas alagadas e alternativas é o twitter da lei seca. Incrível!!". Além do @Lei SecaRJ, pessoas públicas também expressaram sua preocupação com as chuvas. O apresentador Willian Bonner, que disse ter ficado ontem até bem tarde "fazendo hora" em um restaurante após o Jornal Nacional para conseguir chegar em casa, lançou um apelo aos seus seguidores: " A Defesa Civil precisa de ruas livres. Evitem sair de casa".

Mais conteúdo sobre:
Chuvas no RioRiotwitter

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.