Em MG, 15 mil ainda estão sem energia devido ao temporal

Chuvas causaram estragos em Belo Horizonte e oito cidades; granizo tinha tamanho de um abacate

Eduardo Kattah, de O Estado de S. Paulo, e Ítalo Reis, do estadao.com.br,

16 de setembro de 2008 | 16h55

Uma chuva intensa, acompanhada de ventos fortes e granizo, deixou um rastro de estragos e pelo menos duas mil pessoas desalojadas e desabrigadas na cidade de Carandaí, a 137 km de Belo Horizonte, na região central de Minas Gerais. Conforme levantamento divulgado nesta terça-feira, 16, as chuvas de segunda causaram problemas também na capital e outros oito municípios mineiros, segundo a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec). Não houve registro de vítimas fatais. Até às 16 horas desta terça, 15 mil pessoas ainda estão sem energia. Em Carandaí, a chuva de granizo destelhou centenas de residências e estabelecimentos comerciais. Dezenas de pessoas sofreram ferimentos leves e foram atendidas no hospital da cidade. Até a tarde desta terça, a prefeitura contabilizava os estragos, o número de desabrigados, desalojados e feridos. O Corpo de Bombeiros da cidade vizinha de Barbacena calculou que cerca de 15 mil dos 22,2 mil habitantes de Carandaí foram afetados pelo temporal.  Pelo menos um terço dos moradores amanheceram sem luz devido ao rompimento de cabos e fios da Companhia Energética do Estado (Cemig). Os bairros mais afetados foram Santa Cecília e Ponte Chave. "Foi uma chuva de uns 20 minutos, com pedra de granizo do tamanho de um abacate. Por onde passou, não teve piedade de ninguém", contou o assessor da prefeitura, Célio Rodrigues. "Teremos de reconstruir a cidade", afirmou o secretário de Obras, Domingos Sávio.  A Cedec enviou para o município um caminhão com material de auxilio humanitário às famílias afetadas e técnicos para apoio suplementar. Os desabrigados foram levados para igrejas, escolas e para a prefeitura da cidade. Chuvas acompanhadas de ventos fortes e granizo também foram registradas na segunda e no domingo em cinco municípios da Zona da Mata (Visconde do Rio Branco, Ponte Nova, Araponga, Fervedouro e Santos Dumont) e outros dois da região central (Itabira, João Monlevade).  Região metropolitana Um forte temporal de cerca de 30 minutos também provocou estragos em Belo Horizonte e região metropolitana na tarde de segunda-feira. O Centro de Climatologia MG Tempo registrou 94 raios na capital e os ventos chegaram a 50 km/h. Conforme avaliação do MG Tempo, os estragos provocados em Contagem e Betim caracterizam ventos de 70 km/h. Segundo o Corpo de Bombeiros, 56 árvores caíram na Grande BH. Em Esmeraldas, duas casas do bairro São Francisco ficaram completamente destruídas.  As chuvas acumularam o volume de 32 mm na tarde de segunda e na madrugada desta terça, para uma média de 40,5 mm em todo o mês de setembro. Pelo menos 25 mil pessoas amanheceram sem energia elétrica na capital e 15 mil ainda estavam sem energia até às 16 horas desta terça. De acordo com a Cemig, a energia deve voltar até o fim do dia. A falta de luz começou na tarde de segunda-feira, quando cerca de 98 mil consumidores ficaram sem energia elétrica, após redes de transmissão serem atingidas por árvores, descargas elétricas e a forte chuva, segundo a Cemig. No fim desta manhã, cerca de 25 mil pessoas estavam sem energia.

Tudo o que sabemos sobre:
chuva em MG

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.