Em Minas, detetive mata delegado que estava preso

A polícia de Minas Gerais investiga a morte do delegado de polícia Civil, Alexandre Luiz Pimenta, da cidade do Prata, região do Triângulo Mineiro. Pimenta foi assassinado na tarde de terça-feira dentro do 5º Batalhão de Bombeiros Militar de Uberlândia, onde estava preso desde o dia 19 de novembro, acusado de integrar uma quadrilha especializada no desmanche de veículos e roubo de cargas.O assassino, preso em flagrante, é o detetive Leonardo Abdulmassih Ferreira, que disparou cinco vezes contra o delegado usando uma pistola de uso restrito da polícia. O detetive teria chegado ao Batalhão de Bombeiros por volta das 15 horas para fazer uma visita ao delegado e, por ser policial, entrou sem ser revistado. Ele ficou aproximadamente 10 minutos na cela quando foram ouvidos os disparos. Pimenta ainda foi socorrido pela Unidade de Resgate dos Bombeiros e encaminhado ao Pronto Socorro do Hospital de Clínicas de Uberlândia, mas não resistiu.A polícia trabalha com as hipóteses de vingança ou queima de arquivo. "Ele (Ferreira) nos disse que matou para não ser morto", revelou um dos policiais que prendeu o detetive.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.