Em Minas, petista afirma que rival está 'temeroso'

Em reação à afirmação de que o PT possui vínculo com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farcs), a candidata Dilma Rousseff disse ontem que o rival do PSDB, José Serra, está temeroso com seu desempenho na eleição e com uma derrota nas urnas. Serra afirmou na segunda-feira, em Belo Horizonte, que "todo mundo sabe" da ligação do PT com as Farc, endossando parcialmente declaração de seu vice, Índio da Costa (DEM).

Eduardo Kattah, enviado especial a Montes Claros, O Estado de S.Paulo

21 de julho de 2010 | 00h00

Em entrevista à Rádio Terra AM,a petista foi questionada sobre as declarações de Índio, que, segundo o locutor, "coloca o PT como cúmplice das Farc".

"Pretendo manter o diálogo e o debate eleitoral em nível elevado. Eu me surpreendo, não esperava de maneira alguma que meu adversário diante da primeira adversidade, diante do fato que ele teme perder as eleições, ele teme pelo seu desempenho", disse Dilma, na entrevista. "Ao invés de debater, ele passa a fazer acusação. Eu não vou entrar para discutir em nível baixo."

O PT impetrou duas representações criminais contra Índio, no Supremo Tribunal Federal (STF) e na Procuradoria-Geral da República. Em Belo Horizonte, o ex-governador Aécio Neves (PSDB), entrou na polêmica e disse que a estratégia do PT é tentar transformar as declarações do vice de Serra "num grande fato político". Para Aécio o PSDB está no caminho certo. "Aqueles que achavam que já estariam a uma grande distância do candidato José Serra estão ficando preocupados", afirmou.

Em Montes Claros, Dilma participou também de um encontro com prefeitos e líderes políticos. Ela voltou a destacar suas raízes mineiras e a cutucar as gestões tucanas, criticando a promessa de Serra de fortalecer o Bolsa-Família. "A diferença que há entre nós é que nós fizemos. Eles, quando estiveram no governo de São Paulo, reduziram os programas sociais. Com que roupa vão poder dizer que vão fazer o Bolsa-Família?"

Durante a visita, Dilma recebeu o título de cidadã honorária de Montes Claros e acompanhada da comitiva fez uma rápida caminhada pelo centro da cidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.