Em nota, Aeronáutica desmente desmobilização no local do acidente da Gol

O Centro de Comunicação Social da Aeronáutica (Cecomsaer) divulgou uma nota na noite desta quarta-feira, 18, ressaltando que a Força Aérea Brasileira (FAB) e o Exército "não iniciaram nenhum tipo de desmobilização" na região da serra do Cachimbo e na fazenda Jarinã, no Mato Grosso, onde estão sendo realizados os trabalhos de buscas dos corpos das duas últimas vítimas da colisão entre o jato Legacy e o Boeing da Gol, no dia 29 de setembro, que causou a morte de 154 pessoas. De acordo com o comunicado, nesta quinta-feira, 20, será ampliado o emprego de militares e equipamentos, como um detector de metal do Exército, nas buscas do cilindro de voz da caixa-preta, além de outros destroços que possam auxiliar nas investigações. Leia abaixo a íntegra da nota:O Centro de Comunicação Social da Aeronáutica (CECOMSAER) informa o seguinte sobre os trabalhos de hoje na região de Cachimbo e na fazenda Jarinã: 1) A Força Aérea Brasileira e o Exército não iniciaram nenhum tipo de desmobilização na região. Os trabalhos foram realizados normalmente na data de hoje e serão retomados amanhã, com o objetivo de localizar mais vítimas do acidente, o cilindro de voz da caixa-preta e outros destroços que possam auxiliar nas investigações em curso. 2) A operação envolve 376 militares, dos quais 156 estão envolvidos diretamente com os trabalhos na Fazenda Jarinã e no local do acidente. 3) A partir de amanhã, será ampliado o emprego de militares e equipamentos (detector de metal) do Exército nas buscas do cilindro de voz da caixa-preta. 5) No dia de hoje, não foram localizados despojos mortais. COMANDO DA AERONÁUTICA AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.