Em nota, Berzoini nega ter ordenado compra do dossiê

O deputado federal Ricardo Berzoini, que se licenciou do cargo de presidente nacional do PT na semana passada, contestou nesta terça-feira a notícia de que teria ordenado ou autorizado a tentativa de compra do dossiê Vedoin por integrantes do PT. Em nota distribuída nesta tarde, o petista questionou as reportagens publicadas pelos jornais Correio Braziliense e Estado de Minas, apontando sua participação ativa no caso. Ele afirmou que as informações veiculadas são "absolutamente inverídicas" e que as duas reportagens avançam para conclusões "que não respeitam os critérios legais de um processo de investigação".Berzoini, que também foi afastado da coordenação da campanha do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em função do episódio do dossiê, insistiu em afirmar que não teve qualquer envolvimento no caso. Replicando outra nota distribuída na semana passada, disse que jamais incentivou, determinou ou ordenou ilegalidade ou irregularidade nos assuntos que estiveram sob sua responsabilidade na presidência do PT. Berzoini acrescentou que entrará na Justiça para contestar as duas publicações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.