Em nota, IstoÉ nega participação em compra de dossiê contra Serra

A revista IstoÉ negou nesta segunda-feira que tenha participado da compra do dossiê envolvendo o candidato do PSDB ao governo de São Paulo, José Serra, com a máfia dos sanguessugas. Em nota encaminhada à imprensa, o diretor responsável e editor da revista, Domingo Alzugaray, afirmou que a reportagem publicada na última sexta-feira - na qual o donos do grupo Planam, Darci Vedoin e Luiz Antonio Vedoin, afirmam que o ex-ministro da Saúde está envolvido com a máfia das ambulâncias - é resultado de trabalho jornalístico da própria equipe da publicação.No domingo, o advogado Gedimar Passos, preso na sexta-feira, em São Paulo, afirmou à Polícia Federal que o PT teria tido dificuldades em levantar o dinheiro para a compra do dossiê. Por isso, teria trazido para a operação um órgão de imprensa que teria exclusividade na divulgação do material. De acordo com Alzugaray, a IstoÉ teme que "manobras diversionistas" tirem do foco central as investigações sobre as graves denúncias a respeito da máfia das ambulâncias.Confira a nota da IstoÉ, na íntegra:"A Revista IstoÉ, em virtude das informações veiculadas nos últimos dias, esclarece que:1) Não compra e nem nunca comprou dossiês ou entrevistas. A reportagem publicada na sua edição de número 1926, do final de semana, é resultado de trabalho jornalístico da sua própria equipe.2) A decisão de publicar as denúncias envolvendo o nome do ex-ministro da Saúde José Serra deveu-se ao fato de que foram formuladas pelos empresários que têm pautado as investigações e acusações em torno da CPI dos Sanguessugas.3) A Revista condena a venda de dossiês e entende que cabe à Polícia Federal a investigação dos fatos.4) Da mesma maneira, a Revista considera que as denúncias feitas pelos empresários Vedoin devem ser investigadas com profundidade para a adequada apuração dos fatos.5) Por fim, a Revista teme que manobras diversionistas possam tirar do foco central as investigações sobre as graves denúncias a respeito da Máfia das Ambulâncias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.