Em nota, ministra rebate reportagem e diz que abre sigilo

A ministra-chefe da Casa Civil, Erenice Guerra, divulgou nota ontem sobre a reportagem da revista Veja. Nela, afirma que tomará medidas judiciais contra a publicação e informa que estão à disposição seus sigilos fiscal, bancário e telefônico, assim como os de seus familiares.

, O Estado de S.Paulo

12 de setembro de 2010 | 00h00

"Sinto-me atacada em minha honra pessoal e ultrajada pelas mentiras publicadas sem a menor base em provas ou em sustentação na verdade dos fatos, cabendo-me tomar medidas judiciais para a reparação necessária. E assim o farei. Não permitirei que a revista Veja, contumaz no enxovalho da honra alheia, o faça comigo sem que seja acionada tanto por danos morais quanto para que me garanta o direito de resposta", diz.

Na nota, Erenice não cita informações que estão na reportagem, como o lobby de seu filho, Israel Guerra. Mas se diz disposta a abrir o sigilo. "Como servidora pública sinto-me na obrigação, desde já, de colocar à disposição meus sigilos fiscal, bancário e telefônico, bem como o de todos os integrantes de minha família."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.