Em NY, ''números chocantes''

Não-fumantes continuam expostos à fumaça de cigarro

Roni Caryn Rabin, The New York Times, NOVA YORK, O Estadao de S.Paulo

10 de abril de 2009 | 00h00

Mais da metade dos não-fumantes da cidade de Nova York apresenta no sangue elevados níveis de um subproduto da nicotina, o que indica recente exposição à fumaça de cigarro, mostrou estudo do Departamento da Saúde da prefeitura. O dado é surpreendentemente elevado, considerando que a proibição do cigarro imposta na cidade é uma das mais rigorosas dos Estados Unidos. Em 2002, foi aprovada a Lei do Ar Sem Fumo, que proibiu o cigarro em quase todos os ambientes de trabalho, bares e restaurantes da cidade. O estudo constatou que cerca de 56,7% dos não-fumantes têm altos níveis de cotinina (metabólico da nicotina), em comparação com uma média de 44,9% de não-fumantes de todo o país. As consequências a longo prazo para a saúde não são conhecidas, mas calcula-se que, anualmente, morrem nos EUA, vítimas de doenças cardíacas, pelo menos 35 mil fumantes passivos e 3 mil de câncer nos pulmões.Os pesquisadores do departamento se disseram preocupados com a conclusão do estudo, que consideraram "inexplicável". Nova York tem menos fumantes, proporcionalmente à sua população, do que muitas outras cidades americanas. Apenas 23,3% dos adultos da cidade fumavam na época do estudo - a média nacional, mais ou menos no mesmo período, era de 29,7%. O estudo foi publicado nesta semana na revista Nicotine & Tobacco Research. A análise se baseia em dados de pesquisa realizada em 2004 com 1.767 adultos a partir dos 20 anos. "Não é o que prevíamos", disse Thomas R. Frieden, um dos autores do trabalho. "O número é chocante."Uma das explicações é que os nova-iorquinos vivem em um ambiente urbano denso. Frieden sugere que eles estão expostos pelo contato com fumantes na rua. O especialista em tabaco Jonathan P. Winickoff, professor da Escola de Medicina de Harvard, acredita que quem mora em prédio também pode estar exposto à fumaça que passa entre os apartamentos. "O fumo não para na porta de uma casa. Ele preenche a capacidade de todos os ambientes nos quais se fuma um cigarro." FRASEJonathan P. WinickoffEspecialista em tabaco"O fumo não para na porta de uma casa. Ele preenche a capacidade de todos os ambientes nos quais se fuma um cigarro"

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.