Em Praia Grande, presos matam 2 colegas

O Dacar-10, presídio de segurança máxima de Praia Grande, viveu momentos de tensão durante a manhã de hoje. Por volta das 7h30, hora em que os carcereiros abriam as portas para servir o café, os presos estavam agitados, o que levou a direção a reforçar a segurança e, logo depois, dois corpos foram deixados no pátio, perfurados por estiletes. Edgar Benício Pacheco de Goes e Adriano da Costa Silva, ambos cumprindo pena por assalto seguido de seqüestro, morreram durante a madrugada e o delegado Carlos Batista abriu inquérito para apurar as circunstâncias em que as mortes ocorreram. O cadeião abriga 1.170 presos, mas sua capacidade é para 512. Há pelo menos um mês não havia registro de morte entre detentos do Dacar-10.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.