Em Sâo Paulo, estudantes protestam contra corrupção

O Monumento às Bandeiras, em São Paulo, foi o palco de ato de protesto que reuniu cerca de 3 mil manifestantes, segundo a Polícia Militar, a maioria estudantes secundaristas, nesta quarta-feira.Um caixão preto foi posto no gramado em frente ao monumento, simbolizando a morte da corrupção. Duas mil velas brancas foram acesas por volta das 13h30, em protesto contra a crise energética.Com faixas e bandeiras de partidos de esquerda, movimentos estudantis e até uma caricatura gigante do presidente Fernando Henrique Cardoso, os manifestantes deixaram o vão livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp) em direção à Assembléia Legislativa. Durante a caminhada, foram saudados por mulheres que saíram às janelas, ora acenando com bandeiras verde-amarelas, ora aplaudindo os estudantes que vieram de várias partes de São Paulo. Outra manifestação na capital reuniu cerca de 150 estudantes da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP)."Não há mais preocupação com a coisa pública; só se destinam recursos para cumprir compromissos políticos", bradou o coordenador do Centro Acadêmico XI de Agosto, Pedro Abramovay, do alto do parlatório de mármore situado na frente da faculdade, no Largo São Francisco, numa referência à liberação de verbas para parlamentares que retiraram as assinaturas do requerimento da comissão parlamentar de inquérito (CPI) para investigar corrupção. Na platéia, estudantes usavam narizes de palhaço, sopravam apitos e gritavam palavras de ordem. "Gastam milhões para afundar a CPI e, depois, dizem que não existem verbas para investir", protestou o aluno do quarto ano de Direito Daniel Silvestre, que, com um colega, segurava uma faixa dizendo: "Pela cassação de ACM, Arruda e Jader. Pela CPI da corrupção."Os estudantes saíram em caminhada em direção ao Teatro Municipal na Praça Ramos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.