Em seis meses, outros 3 casos

Pelo menos três casos de violência em estações do Metrô assustaram os passageiros neste semestre. O mais grave resultou na morte do adolescente Leandro Cipriano, de 15 anos, na Estação Patriarca (Linha Vermelha), na zona leste. Na madrugada do dia 17 de novembro, ele foi baleado por um policial militar, após suposta resistência à prisão. O PM ficou ferido. O jovem e mais três amigos foram acusados de tentativa de assalto à bilheteria. No dia 20 de setembro, o comerciante Alexander Lopes Matos, de 31 anos, foi baleado na Estação Trianon-Masp (Linha Verde), na zona sul. Após compensar um cheque de R$ 1.400, ele foi seguido por dois homens e abordado no vagão. Matos entregou o dinheiro, mas, quando os bandidos deixaram o trem, começou a persegui-los pela estação. Poucos metros depois, levou um tiro na perna.A Estação Corinthians-Itaquera (Linha Vermelha), na zona leste, no dia 17 de agosto, também foi cenário de tiroteio. O ajudante-geral Anderson Peixoto, de 21 anos, foi atacado por três homens, entregou R$ 40 e, com a abertura das portas, fugiu. Os ladrões disparam, mas acertaram apenas o teto do vagão. Passageiros se jogaram no chão.

O Estadao de S.Paulo

01 de dezembro de 2007 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.