WELLINGTON MACEDO
WELLINGTON MACEDO

Em sexto dia seguido, número de ataques sobe para 125 no Ceará

Bandidos atacaram a Câmara dos Vereadores da cidade de Icó, a 375 quilômetros de Fortaleza; frota de ônibus volta a circular na capital

Arthur Soares, Especial para O Estado

07 Janeiro 2019 | 11h14
Atualizado 07 Janeiro 2019 | 12h57

FORTALEZA - O número de ataques em 36 cidades do Ceará subiu para 125. Na madrugada desta segunda-feira, 7, bandidos atacaram a Câmara dos Vereadores da cidade de Icó, a 375 quilômetros de Fortaleza.  Ao todo, 

Além de tiros efetuados contra a Câmara Municipal de Icó, os criminosos também dispararam em uma rádio da cidade. Um veículo da prestadora de serviços de energia elétrica Enel também foi atingido no município - o que também ocorreu em outras cidades.  

Na capital cearense, aos poucos, a população vai tentando retomar a rotina normal depois de seis dias seguidos de ataques a órgãos públicos e privados em todo o Estado. Toda a frota de ônibus voltou a circular normalmente em Fortaleza e na região metropolitana. 

No entanto, passageiros relatam demora na chegada do transporte público e lotação em todas as linhas. De acordo com o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus), todos os veículos estão nas ruas. Nos terminais de ônibus, durante a manhã desta segunda-feira, era grande o número de passageiros aguardando a condução para o local de trabalho. 

Ainda segundo o Sindiônibus, policiais militares e civis atuarão dentro dos coletivos nos próximos dias para tentar inibir as ações criminosas. Desde sábado, 5, houve redução no número de ataques. No entanto, até cidades pequenas do interior chegaram a ser atingidas pelas ações criminosas.  

Durante os últimos dias, ao menos 36 municípios de todas as regiões do Ceará registraram ataques em órgãos públicos e privados. Os ataques, que teriam sido comandados de dentro dos presídios cearenses, atingiram principalmente veículos de transporte público, vans, prédios, fotossensores, lojas, unidades da Polícia Militar, uma passarela e até um viaduto. 

Em Fortaleza, 33 bairros sofreram com os atos, considerados por alguns especialistas como de terrorismo. Desde o último sábado, 300 homens da Força Nacional estão dando apoio ao efetivo militar no Ceará. Agentes da Bahia também se juntaram aos policiais cearenses para tentar garantir a segurança da população.

Transferências

O governo do Ceará anunciou na noite deste domingo, 6, que irá transferir pelo menos 20 detentos para presídios federais

O número de transferências pode aumentar nos próximos dias uma vez que, de acordo com o governo cearense, o Ministério da Justiça já confirmou que irá disponibilizar 60 vagas nas cadeias federais. 

Prisões

No 5º dia de ataques, o governador do Ceará Camilo Santana disse na manhã desta segunda-feira, 7, que 148 pessoas foram presas até agora.

"Ainda ontem começou o processo de transferência de alguns presos do Sistema Penitenciário cearense para presídios federais, conforme entendimento com o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro", afirmou, em nota publicada em uma rede social. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.