Em Sorocaba, bancos terão que atender clientes em 20 minutos

Os clientes das agências bancárias de Sorocaba, a 92 quilômetros de São Paulo, não poderão ser obrigados a esperar mais de 20 minutos na fila de atendimento, em dias normais. Caso esse prazo seja excedido, os bancos pagarão multas que podem chegar a R$ 5 mil por cliente.O projeto, aprovado pela Câmara, será remetido ao prefeito Renato Amary (PSDB), que tem prazo de um mês para sancioná-lo ou justificar o veto. Caso seja sancionado, os bancos terão 60 dias de prazo para se adaptarem às novas regras. O projeto original, da vereadora Tânia Bacelli (PT), recebeu pareceres contrários da Comissão de Justiça e da procuradoria jurídica da Câmara, que consideraram a matéria inconstitucional.Mesmo assim, os vereadores optaram pela aprovação da proposta, derrubando os pareceres. Situação e oposição uniram-se na crítica aos bancos. "Os banqueiros só pensam no lucro e sacrificam o atendimento à população", afirmou a autora do projeto.O vereador Paulo Mendes (PFL) disse que as instituições ampliaram sua clientela, mas reduziram o quadro de funcionários.A lei estabelece que, na véspera ou após feriados prolongados e em dias de pagamento de funcionários públicos, o prazo de atendimento será de 40 minutos. A multa pelo descumprimento será de R$ 2 mil, passando a R$ 5 mil em caso de reincidência, limitada a cinco ocorrências.Depois disso, o banco terá cassado o alvará de funcionamento. Para o controle do tempo, as agências serão obrigadas a entregar ao usuário um tíquete comprovando o horário de entrada na fila. Os funcionários anotarão a hora do atendimento, que pode ser comprovado também pela chancela eletrônica. A medida vale também para os bancos oficiais. Na agência central da Caixa Econômica Federal (CEF), o atendimento nos caixas destinados a não correntistas chega a demorar mais de uma hora. Gerentes de bancos, procurados nesta sexta-feira, preferiram esperar a decisão do prefeito para se manifestar. O presidente do Sindicato dos Bancários, Antonio Aurélio Cardoso Bueno, acha que a lei obrigará os bancos a ampliar o número de funcionários. Bueno lembrou que a categoria teve uma queda brutal no nível de emprego em razão da automatização do atendimento bancário, mas o usuário foi prejudicado, pois as filas cresceram na mesma proporção.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.