Em Sorocaba, polícia prende quatro suspeitos de ataques

A polícia de Sorocaba prendeu nesta quinta-feira, 13, quatro suspeitos de terem participado dos ataques criminosos em várias partes da cidade durante a madrugada. A polícia apreendeu oito bombas de fabricação caseira, munição e uma espingarda com Rafael Ribeiro Carniac, fugitivo do presídio de Hortolândia, Mauro Braga, Claudemir Lima e Roberto Silva.Segundo o delegado Gilberto de Souza Salles Junior, não se sabe se eles têm ligação com as ocorrências, mas testemunhas disseram que o veículo que eles utilizavam tinha sido usado no ataque ao banco Caixa Econômica Federal durante a madrugada. Eles foram indiciados por formação de quadrilha e porte de arma.Ainda de acordo com as testemunhas, quatro homens em um Fiat Marea verde fizeram vários disparos e estilhaçaram os vidros da frente da agência do banco. O grupo ainda deixou colado na janela um papel escrito "contra a opressão carcerária". A polícia prendeu os suspeitos logo pela manhã.AtaquesOs ataques na cidade tiveram início no começo da noite de quarta-feira. Quatro ônibus foram incendiados, uma loja de vendas de veículos usados foi atingida e duas delegacias parcialmente destruídas. O primeiro ataque foi no bairro Jardim Santo Amaro, na zona norte da cidade, perto da 19 horas. O ônibus estava no ponto final quando dois homens mandaram o motorista sair, jogaram gasolina e atearam fogo. O segundo ônibus também foi parado por dois homens que usaram da mesma forma para incendiar o coletivo. Outros dois veículos foram parcialmente atingidos e queimaram parcialmente. Uma loja de veículos usados foi atacada e dois carros foram destruídos pelo fogo depois de serem atingidos por uma garrafa com produto inflamável. O primeiro distrito policial, da Vila Progresso, foi alvo de tiros que acertaram os vidros das janelas e a fachada. Outra delegacia, do bairro Vila Helena, foi incendiada. Vários processos e inquéritos foram destruídos pelo fogo. Em todos os ataques ninguém ficou ferido.Durante as primeiras horas do dia, alguns ônibus saíram dos terminais escoltados por viaturas da Polícia Militar e foram seguidos durante todo o percurso. No começo da manhã desta quinta-feira, os passageiros tiveram dificuldades para chegar ao trabalho. A frota estava reduzida em 30%. Segundo o Secretário de Transportes, Renato Gianolla, o prejuízo pode chegar a 1 milhão de reais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.