Em SP, processo contra delegado sortudo se arrasta

Foragido há um ano, o delegado Luiz Ozilak, que ganhou 17 vezes na loteria, ainda faz parte dos quadros da Polícia Civil. Ozilak teve a prisão preventiva decretada pela Justiça depois de ser denunciado pelo Ministério Público Estadual sob as acusações de associação para o tráfico de drogas e lavagem de dinheiro. Ele é ainda investigado por improbidade administrativa. Dos quatro processos administrativos a que ele responde na Corregedoria da Polícia Civil, só um foi concluído - o que trata de lavagem de dinheiro e improbidade. A demissão de Ozilak foi recomendada pela corregedoria e referendada pelo Conselho da Polícia Civil e pelo Secretaria de Segurança Pública. O caso agora está na assessoria jurídica do Palácio dos Bandeirantes, que vai se manifestar antes da decisão final, que cabe ao governador José Serra.Ozilak só não está recebendo seu salário porque está faltando ao serviço. As faltas injustificadas têm provocado o desconto no pagamento. Os outros processos administrativos - associação para o tráfico, posse ilegal de arma e munição e abandono de serviço - ainda não foram concluídos. Ozilak começou a ser investigado após o Conselho de Controle de Atividade Financeira (Coaf) constatar em 2001 que, em três meses, ele ganhara 17 vezes na loteria.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.