Em vez de resolver, milícias complicam violência, diz jornal

Em vez de diminuir a violência, milícias que já controlam cerca de 100 das 600 favelas no Rio de Janeiro apenas "complicam um conflito urbano que há décadas desafia as soluções", diz o jornal Washington Post em sua edição desta quarta-feira, 28. A matéria diz que "as milícias alimentam a violência que tentam mitigar". O jornal americano cita a morte do policial Felix dos Santos Tostes, morto no dia 22 de fevereiro com 34 tiros de armas diferentes, suspeito de ser o chefe da milícia na favela Rio das Pedras, na zona oeste do Rio."Embora as milícias afirmem que tornam os bairros mais seguros, a violência as acompanha. E as conexões que muitos grupos têm com a polícia e com círculos políticos dificulta extremamente o seu monitoramento e controle", diz o Washington Post.A reportagem relata como soldados aposentados e de folga que engrossaram as milícias tiveram seu status melhorado aos olhos dos moradores da favela. Uma fonte ouvida pelo diário aponta o paradoxo de os mesmos policiais nunca serem respeitados quando trabalham para o Estado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.