Reprodução
Reprodução

Em vez de vigiar, câmeras são usadas para focar mulheres no interior de SP

Guardas municipais em Araraquara estariam fazendo mau uso do equipamento de segurança

Renê Moreira - Atualizada às 7h20, Especial para o Estado

12 Dezembro 2013 | 18h58

FRANCA - Andar por áreas movimentadas de Araraquara, no interior paulista, pode exigir muita discrição, principalmente, por parte de casais e mulheres. Isso porque, segundo denúncia apresentada na Câmara Municipal e encaminhada ao Ministério Público, guardas municipais estariam usando os câmeras de segurança do sistema de monitoramento para focar mulheres com decotes e casais em namoros apimentados.

Um vídeo para comprovar a denúncia foi exibido no Legislativo local e mostra momentos em que as câmeras deixam de cuidar da segurança da população e passam muitos minutos a focar mulheres e casais de namorados. Em um dos trechos, a câmera vigia um trecho movimentado do centro, mas basta passar uma mulher de short e o foco passa a ser ela.

Até quando entra em uma loja na Rua 9 de Julho, a jovem é acompanhada pelas lentes que ficam aguardando até ela sair, para em seguida continuar a acompanhá-la com close no decote e em partes íntimas. Em outro ponto, os protagonistas foram dois adolescentes que namoravam no banco da praça. A câmera ficou por quase 30 minutos focando em close a troca de carinhos.

A denúncia chegou primeiro à vereadora Gabriela Palombo (PT), que contou ter recebido as filmagens neste mês de uma fonte ligada à guarda. O material também foi mandado para o Ministério Público, que já vinha investigando problemas no sistema de monitoramento. De 26 câmeras, só nove estariam funcionando. A prefeitura informou que condena esse tipo de conduta e que vai apurar o caso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.