Em visita a Rondônia, Lula grava para sua candidata

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva aproveitou sua visita oficial ao Estado de Rondônia, para gravar imagens para o programa eleitoral da candidata petista à Presidência da República, Dilma Rousseff. Segundo uma fonte, a filmagem foi feita à margem do Rio Madeira.

Leonardo Goy, O Estado de S.Paulo

14 de agosto de 2010 | 00h00

O compromisso não constava da agenda oficial do presidente, que fazia referência apenas a encontros particulares na manhã de ontem. Ao sair do hotel onde se hospedou, em Porto Velho, Lula driblou a imprensa e militantes do PT que o aguardavam na rua.

O presidente visitou ontem os canteiros de obras das duas hidrelétricas que estão em construção no rio Madeira, Santo Antônio e Jirau.

Nas proximidades de Jirau, Lula visitou o assentamento de Nova Mutum, onde estão morando funcionários da obra e para onde serão transferidos moradores da região que terão suas terras desapropriadas por causa da construção da barragem.

Reclamações. Lula visitou a casa de um dos moradores da vila, o auxiliar de cozinha Jaderson Lima Pereira. O presidente também brincou com crianças que estavam no local e reclamou com os fotógrafos que não podia ficar muito tempo no sol.

O morador que recebeu o presidente disse que ele não pediu votos para Dilma durante a visita. "Ele só perguntou se eu gostei da casa", afirmou Jaderson Pereira.

Mais tarde, ao discursar para os operários que estão construindo Jirau, Lula recorreu ao presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, para tecer elogios à capacidade dos trabalhadores brasileiros.

Segundo o presidente, Obama errou quando afirmou que ele, Lula, era "o cara"."O Obama deveria ter dito: Lula, você é apenas o presidente. "Os cara" são o povo brasileiro, que não deve a ninguém do ponto de vista da competência e da capacidade de trabalho."

Lula não fez nenhuma referência direta às eleições ou à sua candidata, Dilma Rousseff, mas empregou frases de efeito no discurso. "O Brasil não pode parar", discursou. "O Brasil encontrou sua autoestima e voltou a ter orgulho de si próprio."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.