Em visita, Serra quase é atingido por equipamento

O governador José Serra (PSDB) chegou ao local do desabamento por volta das 22 horas. No momento em que passava pelos escombros, um aparelho de ar-condicionado caiu a poucos centímetros dele. "Disseram (os bombeiros) que eu não podia ficar ali. Em poucos minutos, caiu o ar-condicionado. (A igreja) está uma ruína completa. Caiu tudo", afirmou. "Foi uma sorte divina que a queda não foi durante o culto e sim na saída, pois no culto havia 2 mil pessoas." Conversamos com algumas vítimas e elas disseram que foi repentino. Realmente o céu desabou naquele momento." O governador chegou ao local com o secretários de Controle Urbano, Orlando Almeida, da Saúde, Luiz Roberto Barradas, e da Segurança Pública, Ronaldo Marzagão.Serra elogiou a atuação dos bombeiros no resgate. "Os bombeiros foram impecáveis. Estão trabalhando de forma corajosa e socorreram rapidamente os feridos", disse. "Estamos fazendo o possível para dar o melhor atendimento a essas pessoas."O prefeito Gilberto Kassab (DEM) chegou ao local às 21h15. Disse não saber se o imóvel está regularizado. "A prioridade é o atendimento das vítimas, mas amanhã a polícia técnica, que fará a perícia, e também a Secretaria da Habitação, com o Contru e a subprefeitura, vão disponibilizar informações sobre o imóvel."

Rodrigo Brancatelli e Alexandre Gonçalves, O Estadao de S.Paulo

19 de janeiro de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.