Em votação simbólica, Assembleia do Rio antecipa reajuste a policiais

Texto aprovado é considerado um avanço até por deputados da oposição e parlamentares ligados às categorias; proposta anterior era criticada

Alfredo Junqueira, Estado de S.Paulo

09 Fevereiro 2012 | 11h58

A Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) acaba de aprovar, em votação simbólica, o projeto de lei que antecipa o reajuste salarial de policiais civis e militares, bombeiros e agentes penitenciários do Estado. O texto sofreu modificações em relação à proposta original enviada pelo governador Sérgio Cabral (PMDB).

O texto aprovado agora está sendo considerado um avanço até por deputados da oposição e parlamentares ligados às categorias. A proposta original enviada por Cabral era considerada insatisfatória por associações e movimentos de representação de policiais e bombeiros.  Hoje, às 18 horas, uma assembleia de policiais e bombeiros deverá definir se os servidores entrarão em greve.

Além de concluir o pagamento do reajuste em fevereiro de 2013, antes previsto para outubro do mesmo ano, a medida aprovada pelos deputados ainda garante um novo reajuste em fevereiro de 2014. A taxa será o dobro da inflação no ano anterior. A proposição também garante novos benefícios para a categoria como banco de horas extras, auxílio transporte no valor de R$ 100 mensais e a continuação do pagamento de gratificações para policiais e bombeiros afastados por eventuais problemas, como ferimentos, no exercício de suas funções.

Os deputados ainda devem votar em separado algumas emendas apresentadas pela oposição, que foram previamente rejeitadas pela Comissão de Constituição e Justiça da Alerj.

Mais conteúdo sobre:
greve, PM, RJ

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.