Reprodução
Reprodução

Embaixada dos EUA alerta cidadãos por causa da greve da PM na Bahia

Notas de 'emergência' falam da onda de violência e pedem que 'viagens não essenciais' sejam adiadas

Estadão.com.br, atualizado às 19h36

06 Fevereiro 2012 | 18h47

SÃO PAULO - A embaixada dos Estados Unidos no Brasil emitiu dois alertas para cidadãos norte-americanos que venham visitar a Bahia por causa da greve da Polícia Militar no Estado e o consequente aumento da violência, principalmente na região metropolitana de Salvador. A primeira mensagem foi liberada na sexta-feira e uma nova, com atualizações, nesta segunda-feira, 6, aconselhando inclusive que qualquer 'viagem não essencial' deveria ser adiada.

"Houve relatos de saques em lojas, bloqueios de ruas e arrastões. As forças de segurança nacional do Brasil foram chamadas para manter a ordem e, segundo consta, já estão destacadas na cidade", diz o primeiro comunicado. "Até o momento, não houve relatos de violência contra cidadãos americanos na área", ressalta.

As notas ainda citam que as taxas de roubos e homicídios tiveram aumento com a paralisação, apesar de a Força Nacional de Segurança e o Exército já ocuparem as ruas da Bahia. "Todas as escolas particulares de Salvador foram fechadas e as públicas estão com frequência muito baixa", acrescenta.

Por causa do cerco à Assembleia Legislativa na capital baiana, ocupada pelos PMs grevistas, a embaixada aconselha que os americanos que estiverem ou morarem aqui evitem a região. Além disso, a mensagem ainda pede que o noticiário brasileiro seja acompanhado para eventuais atualizações sobre a situação.

O alerta pede ainda que os cidadãos dos Estados Unidos se inscrevam no programa nacional para receber avisos da embaixada e facilitar o contato de autoridades do país em caso de eventual emergência durante a estadia no Brasil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.