Embaixador italiano vai à posse, apesar de crise do caso Battisti

A tensão entre Brasil e Itália causada pela decisão do ex-presidente Lula de manter no País o ex-ativista italiano Cesare Battisti, condenado por quatro assassinatos em seu país, foi amainada ontem com um gesto diplomático de distensão emitido pelo embaixador Gherardo La Francesca. Mesmo chamado a Roma, em sinal de protesto contra a decisão do governo brasileiro, o diplomata participou da posse da presidente Dilma Rousseff.

, O Estado de S.Paulo

02 de janeiro de 2011 | 00h00

O caso Battisti foi tema na posse. O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, defendeu a soberania brasileira. "É uma manifestação legítima (o protesto da Itália). Mas é legítimo também o Brasil exercer sua soberania."

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, foi na mesma linha. A entrega ou não de Battisti "é ato privativo do chefe de Estado", observou. "Mas há ministros do Supremo Tribunal Federal que não entendem assim."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.