Embaixador italiano vai à posse, apesar de crise do caso Battisti

A tensão entre Brasil e Itália causada pela decisão do ex-presidente Lula de manter no País o ex-ativista italiano Cesare Battisti, condenado por quatro assassinatos em seu país, foi amainada ontem com um gesto diplomático de distensão emitido pelo embaixador Gherardo La Francesca. Mesmo chamado a Roma, em sinal de protesto contra a decisão do governo brasileiro, o diplomata participou da posse da presidente Dilma Rousseff.

, O Estado de S.Paulo

02 de janeiro de 2011 | 00h00

O caso Battisti foi tema na posse. O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, defendeu a soberania brasileira. "É uma manifestação legítima (o protesto da Itália). Mas é legítimo também o Brasil exercer sua soberania."

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, foi na mesma linha. A entrega ou não de Battisti "é ato privativo do chefe de Estado", observou. "Mas há ministros do Supremo Tribunal Federal que não entendem assim."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.