Embate entre tucano e petista marcou campanha

Durante toda a campanha, o candidato do PT ao governo de São Paulo, Aloizio Mercadante, preocupou-se em confrontar os 16 anos de gestão tucana no Estado. E o tucano Geraldo Alckmin, em defender as bandeiras dos ex-governadores de seu partido, Mário Covas e José Serra, além de ressaltar obras de sua gestão.

Roberto Almeida, Adriana Carranca, O Estado de S.Paulo

28 Setembro 2010 | 00h00

Mercadante direcionou esforços para pontos considerados frágeis da gestão PSDB e temas de apelo eleitoral, como a qualidade da educação, deficiências no transporte público e o preço dos pedágios. Na educação, levantou a bandeira pelo fim da progressão continuada. Prometeu construir 30 quilômetros de metrô, dobrar a capacidade da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e renegociar contratos dos pedágios.

Para contra-atacar, Alckmin sublinhou números das gestões passadas, como a queda de homicídios no Estado, e apostou em cifras para dar peso aos compromissos. Prometeu empenhar R$ 1 bilhão para construir mil creches no Estado. Na Grande São Paulo, reduto petista, outro R$ 1 bilhão para construir nova linha de trem da capital até Guarulhos.

O saneamento teve peso semelhante para ambos, que falaram em despoluir o Rio Tietê, construir piscinões e tratar o esgoto na Baixada Santista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.