Embriagado, oficial da PM bate em 3 carros

Tenente-coronel da reserva só parou 6 km adiante

Daniela do Canto, O Estadao de S.Paulo

15 de maio de 2009 | 00h00

Um oficial da reserva da Polícia Militar (PM) que dirigia ontem de madrugada embriagado bateu em três carros na zona sul de São Paulo. Além de alcoolizado, o tenente-coronel reformado Militão José Mota Neto, de 56 anos, estava com a carteira de habilitação vencida há mais de um ano. Ele e a motorista de um dos carros atingidos tiveram ferimentos leves. O PM deve ser indiciado por lesão corporal culposa, dirigir sem permissão e fuga de local de acidente.A primeira das colisões aconteceu pouco depois da meia-noite, na Avenida Rubem Berta, sob o Viaduto Borges Lagoa, quando a Cherokee preta dirigida por Neto bateu na lateral de um Corsa cinza. Em seguida, a Cherokee se chocou contra a traseira de um Fiat Uno verde, no acesso da Rubem Berta para a Avenida dos Bandeirantes. Como o policial continuou dirigindo, o motorista do Uno resolveu segui-lo. No cruzamento com a Alameda dos Guaiós, o tenente-coronel reformado bateu na traseira de uma picape Strada vermelha. Finalmente, seis quilômetros e três colisões depois, Mota Neto parou."Ele estava completamente alcoolizado", afirmou o motorista do Uno Rogério Luz Paulino, de 36 anos. "Ele estava bem bêbado", reforçou o instalador de ar-condicionado Robson Eduardo de Castro, de 35 anos, que dirigia a Strada. "Fico me sentindo um verdadeiro idiota, palhaço. Um policial militar, que deveria dar o exemplo, faz uma coisa dessas."Apesar de ter praticamente destruído a frente do carro, o PM da reserva teve apenas ferimentos leves e foi levado ao pronto-socorro do Hospital Municipal Dr. Arthur Ribeiro Saboya. Medicado, teve alta na manhã de ontem. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, um exame confirmou que o tenente-coronel reformado estava embriagado. "Ele estava consciente (no momento do socorro), mas completamente alcoolizado", garantiu Paulino, motorista do Uno.A psicóloga de 48 anos que dirigia o Corsa cinza também ficou machucada, mas sem gravidade. Atendida no pronto-socorro do Hospital São Paulo com ferimentos no rosto, está fora de perigo. Mas recebeu uma multa, porque não havia licenciado o carro.De acordo com a Polícia Civil, a habilitação do PM havia vencido em 16 de fevereiro do ano passado. Um inquérito foi instaurado no 27º DP (Campo Belo). Segundo a Polícia Militar, Mota Neto está na reserva há oito anos e não está sujeito a punições pela corporação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.