Empregada doméstica acusada de matar 2 filhas gêmeas é presa

A empregada doméstica Maria Elizete de Jesus, de 24 anos, foi presa neste domingo, 24, sob acusação de matar as duas filhas gêmeas, Larissa e Raíssa, de oito meses. De acordo com a Polícia Civil, ela colocou veneno de rato misturado ao leite na mamadeira das crianças na manhã de sábado, 23.Moradora da favela Rio das Pedras, em Jacarepaguá, na zona oeste, Maria Elizete confessou o crime em depoimento na 32.ª Delegacia de Polícia, na Taquara, segundo informações do boletim de ocorrência. Raíssa morreu na tarde de sábado, e Larissa, na madrugada de hoje, no Hospital Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca.A mãe alegou que ficou com raiva porque foi abandonada pelo marido, Mário Faria, de 26 anos e, em depoimento contraditório, disse que queria dar um susto nele, que não sabia direito o que estava fazendo, que não entende o que passou pela sua cabeça. Policiais recolheram na casa da empregada doméstica o recipiente onde estava o veneno, conhecido como chumbinho. Ela foi indiciada sob acusação de duplo homicídio.Maria Elizete havia saído para trabalhar, em um condomínio da Barra da Tijuca, por volta das 7h de sábado. Deixou as filhas com uma mulher que tomava conta delas quando estava ausente. Duas horas depois, recebeu no trabalho uma ligação da babá, informando que uma das meninas estava passando mal. Inicialmente a mãe negou o crime. No entanto, depois que a polícia ouviu o depoimento da babá e apreendeu o frasco com veneno, Maria Elizete acabou confessando.Ela foi transferida para a carceragem da Polinter, onde ficará à disposição da Justiça. Os corpos das gêmeas permaneciam no Instituto Médico-Legal (IML) até o fim da tarde deste domingo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.