Empregada mata patroa em dispensa do trabalho

Após uma discussão sobre dinheiro, a empregada doméstica Luzinete de Jesus Santos, de 23 anos, matou a sua patroa, a professora Luciene Mugnaini Amaral, de 52, estrangulando-a, e agrediu a mãe da vítima, Rosa Mugnaini, de 82. Em seguida ateou fogo a um dos quartos da casa. O crime ocorreu às 13h38 desta segunda-feira.Luzinete, que havia sido demitida por faltar ao trabalho no início de abril, foi presa por seguranças da rua onde trabalhava, a Albert Bartholome, no Jardim das Vertentes, zona oeste de São Paulo.Ela tentava fugir com duas sacolas cheias de objetos de valor: um aparelho de som, 21 colares, uma chapa de alisar cabelo, oito anéis, 20 pares de brincos, três relógios, um talão de cheques, 33 peças de roupa, seis cartões de banco e de crédito, um celular, três carteiras de couro com documentos e R$ 71 reais em dinheiro.A empregada afirmou em depoimento aos investigadores do 34º DP que fora chamada pela patroa para acertar as contas. Segundo Luzinete, que ganhava R$ 350,00 por mês, a professora lhe devia dinheiro. ?Ela me chamou para conversar. Tentou me agredir na hora que eu estava saindo.? Com arranhões nos braços e nas mãos, a empregada mostrou uma marca de mordida no seio direito, que teria sido feita pela patroa. ?Ela quase arrancou meu peito fora.? Foi então, disse, que estrangulou Luciene.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.