Empresa admite falhas ao cumprir acordo

Servimarc diz que foi afetada pela crise, mas promete corrigir problemas

Vitor Hugo Brandalise, Diego Zanchetta e Daniel Gonzales, O Estadao de S.Paulo

14 de janeiro de 2009 | 00h00

Responsável pela manutenção de outros três parques na capital - Cemucam, na Granja Viana, Vila do Rodeio, em Cidade Tiradentes, e Parque Anhanguera, em Perus -, a Servimarc admite que passa por problemas financeiros. "Tivemos problemas com as linhas de crédito, cerca de R$ 200 mil, mas com a crise, nem isso conseguimos", afirmou um dos diretores da empresa, João Paulo Ferreira. "Mas, no Ibirapuera, garanto que pagaremos os funcionários até o dia 22 e a situação vai se regularizar. Nos outros parques, por serem contratos diferentes, não tivemos problemas", disse.O contrato entre a Secretaria do Verde e do Meio-Ambiente e a Servimarc para manutenção do Parque do Ibirapuera termina em 28 de fevereiro e o pregão para a contratação de uma nova empresa está marcado para 26 de janeiro. A Servimarc, porém, não deve participar do novo pregão. A Secretaria do Verde também admite os problemas - em agosto, chegou a entrar na Justiça para rescindir o contrato com a Servimarc, porque a empresa não dispunha de certidão negativa de débito com a Receita Federal. A empresa, porém, obteve liminar com efeito suspensivo, que bloqueou a decisão. "Em sete anos de contrato não tivemos problemas, tudo começou no ano passado", disse o chefe de gabinete da Secretaria do Verde, Hélio Neves. "A manutenção, então, passou a não acontecer com naturalidade."Antes disso, a empresa já apresentava problemas. Em 2006, a Servimarc venceu o pregão para realizar o Programa de Arborização Urbana de São Paulo. Só que o Tribunal de Contas do Município (TCM) constatou, em auditoria feita em 2007, que a empresa não cumpriu as metas estabelecidas pelo governo. Conforme o relatório do TCM, publicado no Diário Oficial da Cidade de 9 de fevereiro de 2008, a empresa plantou 70.592 árvores, enquanto a meta era 268.800. O mesmo problema foi constatado na meta para a manutenção das mudas: 258.118 mudas passaram por manutenção, enquanto a meta era de 768 mil. A diretoria da empresa, porém, rebate as acusações. "Foi um relatório parcial. No fim do contrato, chegamos a plantar 100 mil árvores além do previsto."Segundo a Secretaria Municipal de Verde e Meio Ambiente a concorrência não será antecipada por conta dos problemas na conservação do parque e não será feito contrato emergencial. Os serviços exigidos no novo edital - orçados em R$ 4,76 milhões - preveem limpeza interna e externa do Ibirapuera, conservação de gramados, áreas verdes e sanitários, limpeza de galerias, pequenas obras civis e coleta e destinação do lixo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.