Empresa de ônibus da zona leste de SP amanhece em greve

Usuários do transporte coletivo que dependem dos ônibus da Viação Himalaia, cujas garagens ficam na zona leste da capital paulista, terão muita dificuldade em chegar ao local de trabalho nesta manhã de sexta-feira, 16, por causa da paralisação dos motoristas e cobradores da empresa. A greve, que começou às 4h30, afeta principalmente os moradores dos bairros Tatuapé, São Mateus, Itaquera, Sapopemba, Água Rasa, Vila Jacuí e Cidade Tiradentes. Até as 9h15, nenhum dos 559 ônibus, 190 trólebus e 369 coletivos à diesel, haviam saído da garagem. Segundo um dos funcionários da viação, que pediu que não fosse identificado, integrantes do Sindicato do Motoristas e Cobradores da Capital fazem manifestação em frente à viação. Ainda não se sabe qual o motivo da paralisação, mas o funcionário garante que os salários não estão atrasados. A São Paulo Transportes (SPTrans) já acionou o Plano de Apoio entre as Empresas em Situação de Emergência. O objetivo é redistribuir carros de outras empresas, numa quantia de 50% da frota parada, ou seja, cerca de 250 ônibus, para as linhas afetadas e assim amenizar um pouco os transtornos dos moradores da zona leste. A viação Himalaia opera nos bairros de Cidade Tiradentes, São Mateus e Guaianazes ao centro da cidade. Tem uma frota que atende 35 linhas, 2 mil funcionários e hoje transporta em média de 260 mil passageiros ao dia. Matéria ampliada às 10h25

Agencia Estado,

16 Fevereiro 2007 | 05h51

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.