Empresa deve ser processada por quem fretou voo

O empresário Omar Melo Júnior, que fretou, por R$ 8 mil, o Bandeirante, deve entrar com ação contra a empresa Manaus Aerotáxi por ter vendido vagas no avião além das compradas por ele para levar 23 parentes à festa de aniversário em Manaus. A contadora Ana Lúcia Reis Lauria disse que sua passagem foi comprada pela prefeitura de Coari, onde presta serviços. "Não fui de carona, a empresa cobrou pelas passagens. Estranhei saber que venderam passagens em um voo particular", disse. A Manaus Aerotáxi foi procurada pela reportagem para comentar o motivo de terem sido vendidos lugares em um voo fretado, mas não deu retorno. Hoje chegam ao Centro Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes os motores, turbinas e componentes eletrônicos do avião.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.