Marco Cardelino
Marco Cardelino

Empresa liga restaurante da Alesp a secretário

Edson Giriboni (PV) indicou assessor que assinou ata de licitação da SL Brasil, da qual também atua como representante legal

Fabio Serapião, O Estado de S.Paulo

12 Setembro 2011 | 00h00

JORNAL DA TARDE

Uma empresa criada pela mulher do secretário estadual de Saneamento e Recursos Hídricos, Edson Giriboni (PV), venceu licitação de concessão para explorar o restaurante da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), inaugurado em fevereiro. Sandra Leonel Brasil Giriboni deixou o comando da SL Brasil Comércio e Publicidade em 2006, mas o representante legal da empresa atualmente é um assessor da Alesp, José Antônio Rolim de Souza, lotado na 3.ª secretaria, comandada pelo PV de Giriboni.

Desde novembro 2006, quando Sandra deixou a empresa, a SL Brasil está em nome de Álvaro Cipriano de Souza Júnior e de Julia Fogaça Rolim de Souza, que é filha do assessor José Antônio Rolim.

Em 2010, o próprio Rolim assinou a ata da comissão de licitação que resultou na concessão de uso do restaurante à SL Brasil. Para utilizar o espaço por dez anos e cinco meses, a empresa fez proposta de R$ 4.239.884,40, valor 105% superior ao lance mínimo estabelecido.

Natural de Itapetininga (SP), Rolim é amigo de Giriboni, para quem trabalhou nas campanhas eleitorais de 2006 e 2010. Em 2007, quando Giriboni foi eleito deputado estadual, Rolim foi indicado para cargo de assessor técnico de gabinete, com salário aproximado de R$ 10 mil.

A 3.ª secretaria auxilia outras secretarias da Assembleia em questões administrativas, como licitações, convênios e homologação de resultados de contratos. Desde 2007, já foi ocupada pelos verdes Vanessa Damo (hoje no PMDB) e Feliciano Filho. Hoje, é comandada por Reinaldo Alguz, também do PV.

Diversificação. Inicialmente constituída como empresa de publicidade, a SL Brasil diversificou seu ramo de trabalho a partir de 2006 e passou a atuar em setores como cultivo de mudas em viveiros florestais, comércio varejista de artigos de papelaria, vestuário e calçado e comércio de produtos alimentícios em geral. Em seis anos, a empresa viu seu capital aumentar 5.900%: de RS 20 mil, em 2005, para R$ 1,2 milhão neste ano.

Além do restaurante da Assembleia Legislativa, a empresa detém a concessão de espaços destinados à alimentação no Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia, no Parque Zoológico de São Paulo e na Faculdade de Educação da Universidade Paulista (Unip).

Sócio de Sandra na criação da SL Brasil, seu sobrinho, Luiz Alexandre, ainda empresta seu nome ao e-mail de contato presente no site da empresa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.