Empresa traz o car jump ao Brasil

Jogar um carro com quatro passageiros de uma altura de 60 metros é o novo negócio da empresa paulista RE Eventos. Depois do sucesso do bungee jump, em que pessoas saltam no ar amarradas a cabos elásticos e sentem o efeito ioiô - o corpo sobe-e-desce várias vezes -, chega ao Brasil o car jump, com a mesma técnica, porém feita com um automóvel. A tecnologia do "brinquedo" foi adquirida na Alemanha, até agora o único país a dispor desse produto. A RE investiu R$ 150 mil em adaptações de equipamentos e passa a ofertar a atração para empresas e eventos. A estréia do car jump no País ocorre entre os dias 2 e 4 de julho, durante o primeiro X-Treme Motorsposts, encontro que reúne fãs e empresas do tuning (a moda de modificar design e aumentar a potência dos carros), no Transamérica Expo Center. O evento deve movimentar, segundo organizadores, R$ 10 milhões em vendas de produtos, ingressos e atividades de lazer. Segundo Eduardo Bernasconi, da RE Eventos, a idéia inicial era trazer uma atração radical para o X-Treme. "Mas vi que pode ser um bom negócio e vamos manter o brinquedo para ser locado em outros eventos." Ele já negocia o uso do car jump com montadoras para o Salão do Automóvel, em outubro. O equipamento custa em média 3 milhões de euros e é alugado também para serviços de montagem industrial. Um guindaste de 265 toneladas, importado da Alemanha, eleva o carro a uma altura de 60 metros, de onde é arremessado e chega a dar três voltas no ar. A RE construiu uma plataforma para a elevação do veículo, que recebe uma estrutura reforçada na parte de baixo. O carro que será usado no X-Treme recebeu cintos de segurança reforçados e foram retirados motor, tanque de combustível e fluido de freios para evitar vazamentos. Os saltos serão sorteados entre participantes do evento. Em outras ocasiões, a aventura custará de R$ 200 a R$ 300.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.