Empresa vai dar R$ 900 mil para compensar Prefeitura

Depois de assinar, no dia 29, um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) intermediado pelo Ministério Público do Estado, a Savoy Imobiliária Construtora tem 30 dias para depositar R$ 900 mil numa conta da Secretaria Municipal de Cultura (SMC) para as obras de uma biblioteca pública em Itaquera, na zona leste. Esse foi o "preço" pago pela empreiteira pela não-construção de uma avenida perto do Shopping Aricanduva, erguido pela Savoy.O depósito põe fim à pendência entre a empresa e Prefeitura, que corre desde 1991. Na época da construção do shopping, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) exigiu que a empresa abrisse uma via de acesso ao local para garantir a fluidez do trânsito. Mas a rua passaria sobre um terreno municipal. "Como solução para o impasse, concordamos na época em construir a quatro mãos dois equipamentos sociais destinados à cidade", afirma Cícero de Camargo e Silva, assessor da presidência da Savoy.A Biblioteca Milton Santos foi erguida ao lado do shopping em 2001. Em 2003, com a inauguração do Centro Educacional Unificado (CEU) Aricanduva nas imediações da Milton Santos, a Secretaria Municipal de Cultura achou que seria importante reconstruir o biblioteca em outro local. "A Prefeitura achou melhor encontrar um endereço que precisasse mais do equipamento", explica Maria Zenita Monteiro, coordenadora do Sistema Municipal de Bibliotecas da Secretaria da Cultura.A nova biblioteca será feita no terreno onde atualmente está a Subprefeitura de Itaquera. Os três prédios da subprefeitura serão preservados. Além dos R$ 900 mil, a secretaria deverá investir mais R$ 300 mil para concluir o empreendimento. A previsão é de que as obras sejam iniciadas em março.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.