Empresa vasculhará prédio da TAM

Para tentar evitar que pertences das vítimas do vôo 3054 tenham o mesmo destino da tragédia com o Boeing da Gol, a TAM contratou uma empresa norte-americana especializada no resgate de objetos pessoais em cenários de catástrofes. Nos próximos dias, funcionários da BMS CAT (BMS Catastrophe Global Commercial Services), companhia que atuou no World Trade Center após os atentados às torres gêmeas, devem começar a vasculhar os escombros do prédio da TAM Express. Além de impedir que documentos caiam na mão de falsários, o resultado desse trabalho também serve de alento para os familiares das vítimas.Os peritos americanos miram em todo tipo de objetos pessoais - de correntinhas a laptops - na tentativa de devolvê-los como recordação às famílias. A TAM e a BMS CAT não informam quantos funcionários deverão trabalhar na operação nem quanto tempo durará. Após serem localizados, os objetos seguirão para um galpão onde serão catalogados e só depois entregues aos familiares das vítimas.

Bruno Tavares, O Estadao de S.Paulo

07 de agosto de 2006 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.