Empresária empresta gerador para hospital

Confecção Dudalina pára produção em Luiz Alves; doações a flagelados ultrapassam R$ 1,2 mi

Renato Machado, Mônica Cardoso e Júlio Castro, O Estadao de S.Paulo

27 de novembro de 2008 | 00h00

A empresária Sônia Hess pode perder milhões de reais em decorrência de uma decisão tomada na segunda-feira. Mas ela é firme ao dizer que não se arrepende. "Não dá para pensar em economia numa hora como essas, em que só se vê desgraças", diz. Mesmo com prazos de entrega apertados, a camisaria da família, a Dudalina, a maior da América Latina, suspendeu as atividades em Luiz Alves e emprestou o gerador de energia elétrica para manter o funcionamento do hospital da cidade. A pequena Luiz Alves - com cerca de 10 mil habitantes no Vale do Itajaí - não sofreu com as inundações, mas os desmoronamentos de terra mataram pelo menos quatro pessoas e deixaram a cidade isolada até o fim da tarde de ontem. Também houve corte no abastecimento de água e energia elétrica. Por causa do empréstimo do gerador, o hospital conseguiu manter refrigerados alimentos para os pacientes e supriu toda a aparelhagem médica em funcionamento. "Nós vamos dar um jeito para honrar nossos compromissos, fazendo hora extra, transferindo a demanda para outras fábricas, mas não podíamos fazer nada diferente disso", explica Sônia.A solidariedade às vítimas também vem de outras regiões do País. O governo paulista enviou três helicópteros, 18 viaturas, 65 homens especializados em resgate e quatro cães farejadores treinados para localização de soterrados , além de cinco geólogos. O governo gaúcho enviou 5.630 cobertores, 5.330 colchões, 1.775 kits de limpeza e 1.552 cestas básicas.Mais de R$ 1,2 milhão já foram contabilizados nas contas de bancos em nome do Fundo Estadual da Defesa Civil. Do montante, R$ 800 mil correspondem a doação do Banco do Brasil (Ag. 3582-3, CC 80.000-7) e do Bradesco (Ag. 0348-4, CC 160.000-1). Há contas também no Banco do Estado de Santa Catarina (Ag. 068-0, CC 80.000-0)) e da Caixa Econômica Federal (Ag. 1877, CC 90.000-8).COMO AJUDARO governo do Estado e a Prefeitura iniciaram campanha para arrecadar doações para vítimas das enchentes em Santa Catarina. A população pode levar garrafas de água potável em todos os quartéis e postos de policiamento e do Corpo de Bombeiros. A lista completa dos postos no Estado está no site www.polmil.sp.gov.br, no link Unidades PM. Também é possível fazer as doações no Fundo Social de Solidariedade, na Avenida Marechal Mário Guedes, 301, no Jaguaré, zona oeste da capital Para doações de roupas, calçados, cobertores, fraldas, água potável, material de higiene e alimentos não perecíveis, a entrega pode ser feita em dois postos de arrecadação: na Coordenadoria Municipal de Defesa Civil na Rua Afonso Pena, 130, no Bom Retiro, e na Cruz Vermelha Brasileira, na Avenida Moreira Guimarães, 699, na Saúde As 31 subprefeituras da capital também recebem donativos, em horário comercial

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.