Empresária perdeu 4 dias de trabalho

Pequena empresa não pode pagar plano B

O Estadao de S.Paulo

05 de julho de 2008 | 00h00

Proprietária de empresa especializada na atualização de conteúdos para sites, Glória di Monaco calcula que perdeu quatro dias de trabalho neste ano por problemas com a queda do Speedy, provedor de acesso à internet da Telefônica. "Esse apagão, na verdade, está acontecendo no dia-a-dia. Uma hora em um dia, três em outro. A gente procura ajuda, e eles falam que vão abrir protocolo de pedido e nunca mandam ninguém", reclama Glória.Anteontem, no meio do apagão, ela levou serviços para casa, convenceu clientes a buscar, em pen drives, as atualizações de sites e, por fim, decidiu contratar outro provedor de acesso à internet para os 12 computadores da Navigators, sua empresa. "Grandes empresas podem ter um plano B. Mas a minha é pequena, não tenho como pagar todo mês dois provedores." Ela pretende testar, neste mês, o outro serviço, que se mostrou fundamental para ela ontem, pois o Speedy ainda estava instável, e a previsão passada era de que ele seria restabelecido somente às 19 horas. "Se o sistema do concorrente for bom, vamos cancelar o Speedy." Glória conta que não fez a troca antes porque, há até dois meses, a Telefônica era a única a oferecer banda larga na Avenida Faria Lima, onde está sediada a Navigators.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.