Empresária que ficou 32 dias em cativeiro é libertada

A empresária Adriana Okamoto, de 30 anos, foi solta, na noite de quinta-feira, de um cativeiro no extremo leste da capital paulista após ficar 32 dias nas mãos de seqüestradores. Rendida na porta de seu escritório, em Santo André, na Grande São Paulo, Adriana passou por dois cativeiros durante o período em que esteve seqüestrada.Na noite de quinta-feira, agentes da Divisão Anti-Seqüestro (DAS), após receberem uma denúncia anônima, foram até uma favela em Cidade Tiradentes, e encontraram a vítima, que estava dentro de um barraco, atrás de uma divisória de madeira. Abatida, ela foi encaminhada pelos policiais diretamente para casa.Familiares levarão Adriana nesta sexta-feira para a DAS, onde ele prestará depoimento. A Polícia Civil não forneceu maiores detalhes sobre o seqüestro nem o valor exigido como resgate. Durante a madrugada ninguém havia sido preso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.