Empresário admite que conhecia Vedoin

O empresário Abel Pereira, de Piracicaba, acusado de ter intermediado a venda de ambulâncias do esquema sanguessuga durante o governo de Fernando Henrique Cardoso, admitiu neste sábado ter mantido contato com Darci Vedoin, dono da Planan, durante uma viagem ao Mato Grosso. Mas negou que o assunto tratado tivesse relação com a negociação de ambulâncias.Em entrevista ao Jornal de Piracicaba, ele disse que foi apresentado a Vedoin pelo então prefeito da cidade de Jaciara, cujo nome omitiu. Vedoin e seu filho Luiz Antonio acusam o empresário de ter intermediado a venda de ambulâncias do esquema durante a gestão do ex-ministro Barjas Negri, do PSDB, que substituiu José Serra no Ministério.Ele falaria "em nome" do ministro para liberar as ambulâncias mediante propina de 6,5%. Pereira contou que possui uma fazenda em Jaciara e estava negociando uma parceria com o prefeito. Tratava-se de um projeto de criação de vacas de leite. Numa das ocasiões em que procurou o prefeito, Darci Vedoin estava presente e foram apresentados. Ele disse que a conversa se resumiu ao negócio das vacas, que acabou não evoluindo.Ele confirmou que tem relação de amizade com o prefeito de Piracicaba, Barjas Negri (PSDB), a quem admira, mas jamais se envolveu em qualquer intermediação. Contatado por telefone, Pereira transferiu a ligação para seu advogado, Sérgio Pannunzio. De acordo com Pannunzio, seu cliente já se manifestou através de uma nota, na qual nega as acusações de envolvimento com a máfia dos sanguessugas e afirma que tomará as providências cabíveis."Estou me inteirando de todo o teor do que foi publicado para estudar as medidas", disse Pannunzio, lembrando que não há acusação formal ou investigação policial envolvendo seu cliente. Segundo ele, o empresário deve dar uma entrevista coletiva, provavelmente na próxima quarta-feira, quando retorna de uma viagem, para prestar outros esclarecimentos.Pereira é sócio-proprietário de duas construtoras na cidade e presta serviços à prefeitura, através de licitações. A julgar pelas placas espalhadas na cidade, dispõe de um volume grande de obras. Uma delas, a remodelação da Avenida Cristovão Colombo, iniciada em abril, está orçada em R$ 450 mil.O prefeito Negri não foi encontrado neste sábado. Segundo o assessor de imprensa Miromar Rosa, ele percorria municípios da região para tratar da realização dos Jogos Abertos do Interior na cidade. Segundo Rosa, o prefeito já se manifestou sobre o caso, através de nota oficial, e não daria entrevistas.

Agencia Estado,

16 de setembro de 2006 | 18h49

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõeseleições 2006

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.