Empresário Alcântara Machado teve morte natural

O empresário e publicitário Caio Alcântara Machado, de 77 anos, não foi envenenado e teve morte natural, de acordo com o laudo necroscópico divulgado nesta quinta-feira pelo Instituto Médico-Legal (IML) de São Paulo. Ele morreu em conseqüência da ruptura de varizes do esôfago por causa de cirrose hepática. "Ele tinha uma doença pulmonar crônica e a cirrose provocou a hemorragia", informou o delegado Manoel Adamuz. Machado morreu no dia 20 de agosto.Estava hospedado na Serra da Cantareira na casa da amante Adelina Silveira e da filha dela Ana Tereza. Após a morte, os filhos Luís Augusto e Eduardo foram à polícia e pediram a abertura de inquérito. Suspeitavam que o pai poderia ter sido envenenado pela amante e pela filha. A cremação marcada para o dia seguinte foi suspensa por determinação da Justiça e o corpo de Alcântara Machado foi cremado somente 15 dias depois. "Vou pedir o arquivamento do inquérito. O caso está encerrado", disse o delegado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.