Empresário de 27 anos morre a bordo de navio

Diego Mendes Oliveira começou a passar mal na noite de quinta-feira no Soberano, fretado pela CVC

Zuleide de Barros, Santos, O Estadao de S.Paulo

18 de janeiro de 2009 | 00h00

O empresário e estudante Diego Mendes Oliveira, de 27 anos, que residia em Santo André, ABC paulista, morreu na madrugada de ontem, por volta das 2h30, a bordo do navio Soberano, fretado pela CVC, quando o transatlântico se preparava para desembarcar em Santos, após cruzeiro de sete dias por praias do Nordeste, com 2,3 mil passageiros.Diego começou a passar mal na quinta-feira, com febre, vômitos e diarreia, quando os médicos da embarcação o atenderam na cabine, dividida com o irmão Tiago, de 25, e mais dois amigos do ABC. O rapaz teve ligeira melhora, voltando a se alimentar à noite. Na sexta-feira, porém, voltou a passar mal, queixando-se ainda de dores nas pernas. Ele foi, então, levado para o Centro Médico do navio, onde morreu.O corpo foi encaminhado no início da manhã de ontem ao Instituto Médico-Legal de Santos, que dentro de 30 dias deverá divulgar a causa da morte. Segundo informou ontem o delegado Moyses Eduardo Ferreira, da Polícia Federal, todos os procedimentos médicos foram tomados para salvar o passageiro."Na embarcação não houve queixas de mal-estar generalizado, o que caracterizaria uma intoxicação", disse Ferreira, lembrando que deve-se levar em conta o que o empresário teria ingerido durante as paradas do navio. Alguns companheiros de viagem de Diego informaram que o grupo teria consumido ostras em Salvador, mas que somente ele passou mal.Apenas no desembarque do navio é que o pai de Diego, o também empresário Valdir de Oliveira, soube da morte do rapaz. Em nota, a CVC afirma que Diego se sentiu mal e foi atendido pela equipe médica a bordo, "que usou toda a infraestrutura para atendê-lo". E que o rapaz "morreu por insuficiência cardíaca, conforme laudo médico". Essa é a quarta morte de passageiros na atual temporada de cruzeiros pela costa brasileira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.