Ayrton Vignola/AE
Ayrton Vignola/AE

Empresário diz que Adriano não estava com arma

Luis Carlos, empresário do jogador, afirmou que o B.O sobre o incidente informa que não havia pólvora na mão do atacante

Patrícia Lopes, para o ESPN.com.br,

24 de dezembro de 2011 | 11h55

O empresário de Adriano, Luis Carlos, afirmou que o Boletim de Ocorrência sobre o incidente dentro do carro do jogador informa que não havia pólvora na mão do atacante, provando que a arma que disparou acidentalmente na mão esquerda de Adriane Cirilo Pinto não estava com ele.

 

A jovem foi baleada no carro do jogador do Corinthians, na madrugada deste sábado, na saída de uma boate na Barra da Tijuca, zona Oeste do Rio de Janeiro. Segundo policiais do 31º BPM, ela foi atingida por um tiro na mão e levada ao hospital Barra D'Or pelo segurança do jogador.

Baseado no B.O., Luis Carlos explicou que os PMs fizeram na hora um exame e atestaram que não havia pólvora na mão de Adriano, portanto ele não seria o autor do disparo acidental. O atacante está em casa e não vai prestar depoimento neste sábado.

 

O empresário confirma que a arma pertence ao segurança particular de Adriano, Júlio César Barros de Oliveira, que é policial militar reformado. No entanto, o agente dá outra versão do caso, diferente da contada por Adriane: ela pegou a arma do segurança, que dirigia o carro e tinha Adriano ao seu lado no banco da frente, e acabou disparando acidentalmente.

 

A jovem, que fraturou a mão esquerda, está no Barra D'Or e deve ser operada ainda hoje.

Segundo Luis Carlos, várias pessoas já ligaram para saber como está Adriano, entre elas Ronaldo 'Fenômeno' e o ex-presidente do Corinthians, Andrés Sanchez.

Mais conteúdo sobre:
AdrianoCorinthiansacidente

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.