Empresário é libertado após 11 dias de seqüestro em Jundiaí

A Delegacia Especializada Anti-Seqüestro (Deas) de Campinas libertou, na noite de quinta-feira, 5, o empresário do ramo de revenda de veículos G.C, de 55 anos, morador em Jundiaí, seqüestrado há 11 dias. O comerciante foi encontrado em uma chácara na periferia de Ibiúna, na região de Sorocaba. No local utilizado como cativeiro foram presos Fabrício Borges de Oliveira e Felipe de Souza Pinto, ambos de 21 anos.Felipe é foragido da Justiça; ele desapareceu quando recebeu o benefício de indulto no Natal de 2006. Cumpria pena por assaltos e assassinato. De acordo com o delegado assistente, Edson Jorge Aidar, mais pessoas estariam envolvidas no seqüestro. Entre elas o chefe da quadrilha, identificado como Yed Frigo Imad, também foragido da Justiça.A característica particular da quadrilha, segundo a polícia, é a substituição dos membros presos por outros criminosos mantendo a estrutura do grupo. Somente em 2006, de acordo com a polícia, 20 membros da quadrilha foram presos e substituídos. O delegado acredita que o bando já cometeu pelo menos outros 12 seqüestros na região de Jundiaí.O comerciante foi rendido por dois homens armados, dentro de sua loja no dia 26 de março. Os seqüestradores colocaram a vítima dentro do seu próprio carro, um Siena, que foi abandonado logo em seguida, no mesmo bairro. Durante o período do seqüestro o comerciante passou por dois cativeiros, em Bragança Paulista e Ibiúna.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.