Empresário é preso em churrascaria por tráfico de drogas

Conhecido como Gilberto Cabeção, ele é acusado de fornecer cocaína ao Complexo do Alemão

Solange Spigliatti, do estadao.com.br,

18 de setembro de 2008 | 16h25

Empresário do ramo de automóveis e de combustíveis, Gilberto Vieira Alves, conhecido como Gilberto Cabeção, foi preso na quarta-feira, 17, em uma churrascaria no centro do Rio. Alves é acusado de tráfico de drogas e seria responsável pelo fornecimento de cerca de 100 kg de cocaína por semana para o Complexo do Alemão.   Ele tem um posto de gasolina em Goiás e também abastecia outras favelas no Rio, segundo a polícia. Alves é apontado como um dos maiores atacadista de entorpecentes. O dinheiro da venda das drogas era lavado nas empresas de automóveis e no posto.   Alves é considerado como empresário de entorpecentes, pois atua como empreendedor independentemente de facção. Os policiais informaram que a droga fornecida por Gilberto Cabeção saía de Bolívia para São Paulo, onde era recebida pela facção criminosa paulista, e depois seguia para o Rio, passando por Maricá.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.