Empresário escapa de seqüestro e é assaltado 2 dias depois

Uma coincidência infeliz. Nem dois dias depois de se livrar de um seqüestro, o empresário Ronaldo Ferrari, de 45 anos, da cidade de Caçapava, no Vale do Paraíba, sofreu uma tentativa de assalto. Dois jovens armados entraram em sua loja de material de construção no final da tarde de ontem e renderam um cliente. Ronaldo, que estava no depósito, percebeu a ação dos bandidos, e com medo, se escondeu. Os ladrões queriam dinheiro. Abordaram o cliente e pediram todo valor do caixa. Segundo a polícia, o cliente respondeu que não era funcionário do local. Os ladrões agrediram a vítima e fugiram. A tentativa de assalto assustou os funcionários, abalados com o seqüestro do patrão. Para a polícia, tudo não passou de uma infeliz coincidência. "Os ladrões não tem nada a ver com o seqüestro" afirmou o delegado Roberto Monteiro, seccional de São José dos Campos. Segundo ele, os homens que tentaram assaltar o depósito eram inexperientes e desistiram facilmente da ação. "Nem sabemos que as armas que eles estavam eram verdadeiras" afirmou. Depois do susto, azar ou coincidência, o empresário deve reforçar a segurança de sua casa e também do local de trabalho. O irmão do empresário, Wilson Ferrari, disse que a família deve rever a questão da segurança. O empresário não quis falar sobre o assunto. Ronaldo Ferrari foi seqüestrado há uma semana e ficou quatro dias em poder da quadrilha. Ele foi libertado na última terça-feira depois que o policial militar Gerenaldo Almeida, de 29 anos, foi detido e confessou o crime.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.