Empresário sequestrado é libertado no Rio

Após dois dias em poder de seqüestradores, o empresário Wagner Vieira Pereira, de 44 anos, dono da fábrica de guaraná Strong, foi libertado neste domingo por policiais da Divisão Anti-Seqüestro (DAS). Ele havia sido levado na sexta-feira à noite, quando saía da empresa, na Baixada Fluminense. Dois bandidos, integrantes da quadrilha que teria mais cinco pessoas, foram presos. Eles queriam R$ 500 mil de resgate. Os policiais foram recebidos a tiros quando ocalizar a casa de dois andares onde o empresário foi mantido refém, na favela do Batan, em Realengo (zona oeste). Ele estava num quarto, amarrado à uma cama. Na delegacia, o empresário contou os momentos de terror. "Eu fiquei com venda nos olhos, algodão nos ouvidos e algemado na cama, em uma posição muito desconfortável." Pereira disse ainda que foi ameaçado de morte. "Eles disseram que, se até as 12 horas de segunda-feira não estivessem com o (dinheiro) resgate à mão, iam começar a mutilação. Cortariam dedos e orelhas."Os policiais chegaram até o empresário porque conseguiram prender no Sábado à noite Claudemir Fernandes de Souza, de 27 anos, e Marcio Nonato Fernandes da Silva, de 26, no momento em que ligavam para a família de Pereira de um telefone público no centro. A ligação foi rastreada. Presos, Souza e Silva revelaram o local do cativeiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.