Empresário tem de pagar R$ 30 mil à ex por foto erótica

Um empresário de Teófilo Otoni, em Minas, foi obrigado a pagar indenização de R$ 30 mil à ex-namorada, depois de divulgar fotos eróticas feitas durante uma relação sexual. As imagens, registradas em câmera digital, foram enviadas para vários endereços de e-mail, divulgadas em sites pornográficos e publicadas em panfleto.Na ação, a ex-namorada reconheceu que as fotos foram feitas com seu consentimento. Mas argumentou que o empresário havia se comprometido a apagar as imagens. No processo, a moça alega que a exposição lhe causou muitos problemas. Ela precisou deixar a igreja que frequentava e até mudou de cidade. Sua mãe, segundo ela, foi acometida de crise depressiva. Os nomes dos envolvidos estão sendo mantidos em sigilo pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais.O empresário argumentou que a ideia das fotos foi da ex-namorada, que não ficou provado ser ele o responsável pela divulgação das imagens e não poderia ser considerado culpado pela depressão da mãe da moça. O juiz da 2ª Vara Cível de Teófilo Otoni, Ricardo Vianna da Costa e Silva, entendeu que o empresário foi responsável pela divulgação uma vez que guardou as imagens sem o consentimento da ex-namorada. Mas concordou que não era cabível indenização para a mãe.A indenização por danos morais estipulada pela 2ª Vara foi de R$ 60 mil. Mas o réu recorreu e a 17ª Vara Cível, que julgou o recurso, reduziu o valor.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.