Empresários criam ong para ajudar Marta Suplicy

Um grupo de empresário decidiu criar a Organização não-governamental (Ong) Fórum Empresarial de Apoio a Cidade de São Paulo para ajudar a prefeita Marta Suplicy (PT) em seus principais projetos administrativos. A decisão foi acertada nesta terça-feira em reunião, que durou 2h30, entre 13 empresários e a prefeita. O encontro aconteceu no Palácios das Indústrias, sede do Executivo da cidade.De acordo com o coordenador do Fórum, o empresário Jorge Luiz Abraão, presidente da Uni Engenharia, de um grupo de 30 projetos foram levantados por todas as secretarias da Prefeitura. Desses, 13 foram filtrados pelo grupo e já estão sendo estudados e avaliados. "O trabalho do Fórum é articular a relação entre os investimentos dos empresários com as grandes necessidades da cidade", afirmou Abraão. Os projetos selecionados tratam das áreas de Educação, Saúde, alimentação, o problema do lixo na cidade e a revitalização dos parques públicos. Ainda segundo Abraão, o objetivo é que na próxima reunião, que acontecerá dentro de dois meses, sejam escolhidos três ou quatro projetos que serão estudados e colocados em prática pelo grupo. "Vamos definir três ou quatro projetos que serão estudados pelo grupo e para que nós possamos ter alguns projetos exemplares."Essa é a segunda vez que os empresários, conhecidos como o "grupo de notáveis", se encontram com a prefeita. Além de Abraão, participaram do encontro os empresários: Toninho Marmo Trevisan, do grupo Trevisan Auditores e Consultores, Cláudio Bardella, presidente da empresas Bardella S.A, Eugênio Emílio Staub, presidente da Gradiente, Horácio Lafer Piva, presidente da Fiesp, José Pessoa Queiroz Bisneto, presidente da J. Pessoa Participação Ltda, Oded Grajew, presidente do Instituto Ethos, Paulo Cunha, presidente do Grupo Ultra, Pedro Moreira Salles, presidente do conselho administrativo do Unibanco, Viviane Senna, presidente do Instituto Airton Senna, Ricardo Semler e Vânia Ferro.ParticipaçãoSegundo o presidente da Fiesp, Horácio Lafer Piva, além de ajudar a Prefeitura imediatamente, o objetivo dos integrantes do Fórum será mobilizar outros empresários para participarem do grupo e ajudar financeiramente. "Criaremos pequenos comitês para discutir pontos específicos do trabalho", disse Piva. "Queremos mobilizar outros empresários não só para a construção (do Fórum), como na questão financeira."Piva explicou que os empresários, após a definição dos projetos, ajudarão na montagem, mobilização de outros empresários e financiamento dessas prioridades. "O trabalho será na ajuda da montagem, financiamento e a mobilização de outros empresários que venham (por exemplo) adotar um parque, um centro de saúde e de informática. Aí é uma questão de mobilização nossa", lembrou.De acordo com os empresários que participaram do encontro, o que eles querem colocar em prática é canalizar o desejo de investimento dos empresários para as questões mais importantes da cidade que podem dar resultados. "O empresários saberá onde será mais importante investir", lembrou Jorge Luiz Abraão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.