Empresários distribuem presentes para 15 mil crianças

Domingo foi dia de festa para 15 mil crianças e adolescentes carentes de bairros da zona sul de São Paulo e de Diadema, no ABC. Antecipando o Natal, um grupo de empresários paulistanos, com o auxílio de voluntários, distribuiu 600 mil brinquedos, tornando o fim de ano mais alegre para famílias da região. Os empresários integram a Turma do Papai Noel, que há 37 anos faz esse tipo de atividade.A distribuição dos brinquedos ocorreu no Centro de Exposições Imigrantes, na zona sul. De acordo com a Polícia Militar, estiveram presentes ao evento aproximadamente 45 mil pessoas, entre 9 e 13 horas. Cada criança ou adolescente ganhou um saco com brinquedos.O evento começou às 8 horas na sede do 2º Batalhão de Choque da Polícia Militar, na Luz. No local, 37 empresários, de diversas áreas de atuação, reuniram-se num caminhão do Corpo de Bombeiros vestidos de Papai Noel. Em carreata, parte dos 400 voluntários acompanhou o caminhão enfeitado com motivos natalinos até o Centro de Exposições. PMs das Rondas Ostensivas com o Apoio de Motocicletas (Rocam), das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota) e da Cavalaria escoltaram os veículos.Antes da distribuição dos presentes, houve queima de fogos por 15 minutos. As crianças e adolescentes, acompanhados de pais, avós e amigos, moram em bairros como Jabaquara, Saúde, Água Funda e Americanópolis e em Diadema. A fila chegava a dois quarteirões. Uma rua, perto da entrada na Avenida Miguel Estéfano, teve de ser interditada para facilitar o acesso dos visitantes. Apesar do grande número de pessoas, nenhum incidente grave foi registrado.No saco plástico distribuído pelos empresários as crianças encontraram bola de futebol, carrinhos, bonecas e um jogo de frescobol. "Se não fosse essa iniciativa, meus filhos iam passar o Natal sem presente. Estou desempregado e o que ganho vendendo acessórios de celular na rua mal dá para pôr comida em casa", disse José Jesus da Silva, de 46 anos, que tem três filhos e mora na favela Alba, situada no Jabaquara.O torneiro mecânico Jarbas Mendonça de Barros, a mulher, Jussara Barros, e os filhos Carlos, de 8 anos, e Ana Lúcia, de 9 anos, chegaram ao Centro de Exposições às 10 horas. "Andamos mais de meia hora até aqui, mas valeu a pena. Não é todo dia que acontece uma coisa dessas. Outros empresários deveriam seguir o exemplo tomar essa atitude", disse Barros.Segundo o capitão Rivaldo Ribeiro, do 3º Batalhão da PM a fila começou a formar-se ainda no sábado, por volta das 19 horas. Eram quatro crianças, que estavam acompanhadas da avó. "Eles passaram toda a noite e a madrugada aqui e nós tivemos de ajudar com alimentos", afirmou o capitão. "Estou muito emocionado de participar de uma iniciativa como esta. Cheguei a chorar ao ver a satisfação das pessoas ao receberem os brinquedos."Além de ganharem presentes, as crianças e os adolescentes puderam cortar o cabelo e se maquiar. O trabalho foi feito por 70 cabeleireiras e 30 maquiadoras, todas voluntárias. Adriana Meire da Silveira, de 8 anos, aproveitou a oportunidade para mudar o estilo do cabelo e fazer um desenho de borboleta na bochecha. "Estou me divertindo muito. É legal isso tudo", disse Adriana, sorridente. "Meus pais não podem me dar muitos presentes e agora ganhei bonecas e brinquedos." Sua irmã Márcia de 9 anos, pintou um urso no rosto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.