Empresas de ônibus devem mais de R$ 1 bilhão ao INSS

O superintendente do INSS em São Paulo, Carlos Eduardo Gabas, decidiu apertar o cerco contra as empresas de ônibus da capital paulista que têm dívidas com a Previdência. Nos últimos dez anos, as viações teriam acumulado débitos de mais de R$ 1 bilhão, que agora começam a ser cobrados."Um terço disso é apropriação indébita", disse, referindo-se à prática constatada entre alguns empresários, que descontavam o dinheiro dos funcionários e não faziam o repasse ao governo.A missão está sendo encarada de tal forma pela superintendência que foi criada uma força-tarefa para a empreitada. E a intenção é fazer com que o dinheiro chegue aos cofres da Previdência, mesmo que as empresas não existam mais. "Vamos rastrear os bens dos empresários para restituir o dinheiro ao erário."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.